Home » Cultura » Vamos à leitura? Três livros indicados por Luís Fernando Veríssimo.

Vamos à leitura? Três livros indicados por Luís Fernando Veríssimo.

Resultado de imagem para Luis Fernando Verissimo

Luis Fernando Verissimo é humorista, cartunista, tradutor, roteirista de televisão e de teatro e saxofonista. Com mais de cinco milhões de livros vendidos e um Prêmio Jabuti na estante, é um dos mais populares autores contemporâneos.

Estas foram as suas indicações:

1. O grande Gatsby,
de F. Scott Fitzgerald

F. Scott Fitzgerald sempre foi considerado o principal representante da época norte-americana rotulada como “a era do jazz”. Trazendo como pano de fundo a sociedade estadunidense da década de 1920, O grande Gatsby é narrado por Nick Carraway, que, ao se mudar para ser vizinho do misterioso milionário Jay Gatsby, adentra um mundo de luxo e extravagância. Gatsby, porém, está em busca da atenção de um antigo amor de quem se separou na Primeira Guerra Mundial. “Li O grande Gatsby mais de uma vez e considero o livro um modelo de estrutura narrativa e observação social”, contou Luis Fernando Verissimo.

2. O continente
de Erico Verissimo

O continente é a primeira parte da saga O tempo e o vento, trilogia formada por O continente, O retrato e O arquipélago. A obra completa abrange um século e meio da história do Rio Grande do Sul e do Brasil, acompanhando a formação mítica e histórica da família Terra Cambará. Nessa primeira parte, em um constante ir e vir, a história passa pelo cerco das tropas federalistas ao Sobrado de Licurgo Cambará, em 1895, pela fundação do povoado de Santa Fé e apresenta personagens marcantes da literatura brasileira, como Pedro Missioneiro, Ana e Bibiana Terra e Capitão Rodrigo. A relação de Verissimo com a obra é certamente especial, visto que a saga é de autoria de seu pai.

3. O seminarista
de Rubem Fonseca

O seminarista foi o livro que enviamos aos associados do clube em janeiro de 2016, na primeira participação de Luis Fernando Verissimo como curador da TAG. O livro narra a história de José, um matador profissional que deseja abandonar o ofício, mas que terá que enfrentar os fantasmas do passado e o cerco de outros profissionais que querem pôr fim à sua vida. A contraposição entre o banal e o erudito, uma das características mais marcantes de Rubem Fonseca, está presente nessa obra, que contém um gostinho da literatura policial urbana da qual o autor foi o maior expoente. Enquanto conversávamos com Verissimo sobre escritores contemporâneos, ele indicou, além de Rubem Fonseca, as obras do amazonense Milton Hatoum.

fonte: https://clube.taglivros.com